Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

insubmisso-sempre


Domingo, 15.12.13

ROGER WATERS NO REGISTO CERTO!

Roger Waters, músico fundador dos Pink Floyd, em entrevista, comparou o contexto actual da política israelita em relação à Palestina, ao contexto da Alemanha nazi, censurando ao mesmo tempo o “extraordinário” poder de que dispõem os meios de pressão judeus nos Estados Unidos.  O músico que integra a campanha Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) contra Israel compara a apatia durante a opressão dos judeus desde 1933 a 1946 com o contexto actual no conflito Israel-palestino. “Nunca tocaria para o governo de Vichy, na França ocupada, durante a II Guerra Mundial. Nem em Berlim no mesmo período. Mas muitos fizeram-no, na época. Muitas pessoas fingiam que a opressão aos judeus não estava a acontecer.” A tese de Roger Waters é que esta letargia “não é um novo cenário. Só que desta vez é o povo palestiniano que está a ser assassinado.” (notícia retirada de Público online)

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 20:53

Terça-feira, 10.12.13

O lourenço (não) é um camilo!

Cada governo tem direito ao seu! Alguns chegam a ministros e há outros que, ao poder, dá mais jeito que mantenham a impoluta auréola da independência, mantendo-os à margem da governação. Exemplos há vários mas, para uma e outra das situações, respetivamente, podem referir-se nomes como Walther Funk e Camilo Lourenço.

Aqueles, como outros, são dos que fazem doutrina, ou melhor, são dos que justificam opções que decorrem de doutrinas que são alheias ao facto de haver pessoas que são sacrificadas, que sofrem e morrem, pessoas a quem políticos e políticas destroem a vida, enquanto hipotecam o futuro de nações.

Lourenço até consegue ver mais longe que um governo que, sem binóculos, vê para além da troika que asfixia Portugal e os portugueses. Ele consegue justificar como natural o ror de desempregados que o governo PSD/CDS está a provocar; entende e justifica a necessidade de surgirem milhares de novos pobres absolutamente necessários para que apareçam mais uns quantos multimilionários. Camilo acha bem que se corte nos salários, nas pensões e nas diversas prestações sociais; está completamente de acordo com a destruição das funções sociais do Estado e com as privatizações em força na Saúde, na Educação e em muitas outras áreas sociais; está na primeira linha dos que se ajeitam para acionar o êmbolo da seringa que continua a injetar milhões na banca e, com a outra mão, a apontar o dedo para a fronteira por onde deverão sair milhares e milhares de jovens qualificados de que o governo prescinde. Lourenço achará que a troika é mesmo uma organização de gente boa, altruísta, capaz de despir a camisa para oferecer sem exigir, em troca, um fato completo...

Camilo, dá para ver, aborrece-se que haja quem ponha em dúvida um caminho que deixa atrás de si um rasto de cinzas; irrita-se de ouvir quem, em sua opinião, não deveria colocar dúvidas, mas, de vez em quando, põe algumas ainda que de levezinho; enerva-se com quem, em sua opinião, adota discursos que podem levar outros a questionarem sobre o que se está a passar; não suporta, odeia, os que nunca desisitiram de lutar contra este nojento lamaçal em que os governantes estão a obrigar os portugueses a mergulhar.

Pois é, lourenço não é um camilo. É mesmo um bem valioso para aqueles que invadiram, vilipendiam e roubam Portugal, assim como para quantos, cá dentro, se venderam a tais invasores. Gente assim, reza a história, tem acabado escondida nos armários do tempo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 18:49

Domingo, 20.10.13

PARA ELES, TU ESTÁS A MAIS!

Se muitos portugueses já eram considerados a mais na sua Pátria, agora, com a proposta de OE apresentada pelo governo e defendida por PSD e CDS, acentua-se a ideia de sermos excessivos.

Para, entre outros, Coelho, Portas, Albuquerque, Crato, Lima, Machete... e também para Cavaco, os portugueses estão a mais em Portugal, tornando-se necessário dispensá-los. E é com este sentido que,...

... porque estão a mais, o governo apela a que os jovens emigrem, esperando que desapareçam para sempre!

... porque estão a mais, o governo despede contratados, convida efetivos a rescindirem e ameaça os resistentes com a mobilidade especial, aplicável, lá está, porque, em sua opinião, há gente que está a mais!

... porque estão a mais, o governo corta na saúde, nas pensões e em diversos apoios sociais devidos aos idosos, desejando que desapareçam para sempre!

Será muito mais simples, justo e eficaz se a história conhecer outro rumo. Afinal, quem está mesmo a mais não são os portugueses, mas os governantes que deles se querem livrar. Façamos tudo para os pôr ao fresco.

Gente que, num país com um número crescente de idosos, decide cortar acima de 9% na Saúde; gente que, num país empobrecido e com tantos défices educativos, decide cortar 7,5% nos ensinos básico e secundário e 4,3% no ensino superior e na ciência; gente que considera que um salário de 600 euros é excessivo e deve ser cortado ou um de 2.000 é de rico e deve reduzir-se em 12%... é gente que não presta! É gente reles! É gente que o país deve julgar politicamente, mas não só! Tal gente, essa sim, está a mais e deve desaparecer para sempre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 00:43

Sexta-feira, 18.10.13

UM ORÇAMENTO QUE DIZ QUE É UMA ESPÉCIE DE BÍBLIA...

A proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2014 é assim como que uma espécie de Bíblia, senão vejamos:

Como afirmava Saramago "o Deus da Bíblia é rancoroso, vingativo e má pessoa". Admitindo algumas distâncias, pois Deus nunca vimos e Passos vemos (e ouvimos) todos os dias, que menos poderá ser um Coelho (ia escrevendo "homem") que lidera um governo que apresenta um OE destes?

Era opinião de Saramago que sem a Bíblia seríamos outras pessoas, provavelmente melhores. Tal e qual como sem este e outros OE... seríamos melhores, estaríamos melhores, faríamos melhor! E, acrescentava o Nobel, a Bíblia é um livro de maus costumes. Será... como é este orçamento. De maus costumes, de tortura, de enxovalhamento e insulto de um povo...

Disse ainda Saramago que Caim nunca existiu... É como Portas, aquilo é gente que não existe! Traidor em relação aos seus compromissos e pantomineiro qb. Diferem apenas porque  a personagem bíblica, a crer em Saramago, era bom tipo.

Pois é, Saramago... imagino o teu desgosto se visses o achincalhamento deste povo por gente sem princípios, sem valores democráticos e sem respeito pelos seus pares. As suas mentiras ferir-te-iam como facas, o súbito e violento empobrecimento do povo tirar-te-ia do sério e as palavras falsas enojar-te-iam... Enojam-nos a todos... Merecem o nosso vómito!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 22:04

Segunda-feira, 07.10.13

HÁ QUE ESCORRAÇAR A CANALHA DO PODER!

Se deixarmos fugir alguns dos maiores bens que hoje temos à nossa disposição, a nossa vida passará a ser um inferno. Refiro-me à Escola Pública, ao Serviço Nacional de Saúde ou à proteção social no desemprego, na velhice e sempre que é necessário. Esses bandoleiros que estão a arruinar Portugal estão a roubar-nos tudo isto. São aldrabões a quem não falta vergonha para negar hoje o que roubam amanhã (não cortavam salários, não despediam, queriam até que fossem presos os que impunham sacrifícios ao povo!)... Grandessíssimos vigaristas! Eles não vão parar se não os pararmos, porque quem prevê cortar nas pensões de sobrevivência e admite reduzir o salário mínimo é capaz de tudo. Preparam-se para ir, de novo, ao nosso salário e estão-se a borrifar no Tribunal Constitucional, pois julgam-se acima da lei e, na verdade, agem como foras-da-lei. São uns bandidos que assaltam os portugueses diariamente e, por esse motivo, é preciso um levantamento popular que corra com esta canalha de vez e rapidamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 00:36

Terça-feira, 01.10.13

O POVO DEU MAIS FORÇA A QUEM LHE DÁ VOZ

As eleições autárquicas tiveram, como nunca, um significado nacional extremamente forte, ainda que Cavaco não o queira reconhecer e Passos Coelho não queira daí retirar consequências.

- A direita - PSD e CDS - tiveram uma enorme derrota, ainda que Portas repita o contrário para se convencer. Sozinhos ou acompanhados, aqueles partidos desceram de forma muito relevante e isso nem sequer é disfarçado pelas 5 câmaras que o CDS ganhou ao PSD. Só quer dizer que Portas continua a passar por entre alguns pingos da chuva que molha a direita, mas isso não significa que não acabe ensopado;

- O PS bem pode falar em vitória e, se apenas se contabilizar o número de câmaras ganhas, fala verdade. Mas por mais que o diga não consegue disfarçar o que os números revelam: menos 273.638 votos e uma descida de 37,67% para 36,25%. Isto em legislativas não lhe daria para muito e é o castigo pelo protagonismo na assinatura do pacto com a troika e pelas políticas de direita que desenvolveu enquanto governo, não tendo o povo a memória curta. Portanto, para haver mais rigor, talvez convenha afirmar que o PS ficou à frente porque perdeu menos que o PSD.

- Quanto aos independentes, bom, são-no se tivermos em conta a posição oficial dos partidos, mas deixarão de o ser se tivermos em consideraçao máquinas eleitorais, estruturas municipais e interesses que se movem por detrás deles. Rui Moreira? Que independência de Rui Rio? E do CDS e dos empresários do Porto? Matosinhos, Portalegre... Já em relação a Cidadãos, somos todos e cada um com um número de identificação que consta do respetivo cartão.

- À esquerda do PS confirmou-se que os portugueses sabem distinguir as consequência das causas. Causas temos todos, consequentes é que já nem todos conseguem ser. O PCP, principal força da CDU, é reconhecidamente uma força consequente, com gente que luta e dá tudo de si pelo povo, pelo futuro, contra as troikas de lá e de cá, por um Portugal governado por políticas de esquerda e que defendam a soberania nacional. Com o PCP, Verdes, ID e gente sem partido a CDU torna-se maior e confirmou uma notável dimensão nestas eleições.

Há muito a fazer sim, mas estamos a fazer bem e vamos no caminho certo. Ou seja, não basta que nos afirmemos quando há eleições, é preciso que nos afirmemos sempre, em todos os momentos, sem nunca desistir, sem nunca deixar de dar a cara, assumindo sempre as posições corretas mesmo quando, conjunturalmente, nos deixam em minoria, sem ceder ao facilitismo, esconder a natureza ou fingir que somos outros.

Évora, Beja, Monforte, Alcácer, Grândola, Loures... são ganhos muito importantes, mas também o número de vereadores, de membros em assembleias municipais, de membros em assembleias de freguesias, a recuperação de vereadores como em Tomar ou Faro onde, muitas vezes, serão determinantes nas votações, ou o aumento de 2 para 15 % em Rio Maior, ou de 235% em Viseu e em tantos sítios pequeninos onde foram mais os que acreditaram em nós.

Somos hoje mais fortes porque o povo quis dar mais força a quem lhe dá voz, como dizia um cartaz de um candidato nosso a estas eleições. Vamos continuar!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 15:21

Domingo, 29.09.13

COISAS DO ARCO DA TROIKA

Cavaco, pois então, continua a comandar a direita que destrói este país. É claro que não pretende fazer leituras nacionais dos resultados das autárquicas o que até poderia parecer natural, mas nas atuais circunstâncias toda a gente já percebeu que muitas das derrotas eleitorais do PSD e CDS, em inúmeros concelhos, decorrem, sobretudo, do que se passa no país e não lá na terra.

Cavaco também é de opinião que a lei eleitoral, designadamente no que se refere à cobertura das campanhas, deve ser alterada. O que interessa saber o que pensa quem é minoritário? É que, a ser divulgado, ainda um dia passa a maioritário. Interessa é promover a bipolarização, ouvir a disputa entre grandes, isto é, entre candidatos do arco da troika, e o resto é perder tempo.

E se calhar Cavaco vai querer rever outros aspetos da lei, de maneira a bipolarizar ainda mais, com os tais círculos uninominais, que, na prática, ditariam a eliminação de muitos candidatos; provavelmente também é favorável à criação de executivos municipais de um só partido, acabando com essa chatice que é a diversidade e a trabalheira que dá construir entendimentos.

Às vezes Cavaco tenta dar a ideia de ser alguém preocupado e, nesse sentido, profere discursos aparentemente nesse sentido e até remete a apreciação de algumas leis para o Tribunal Constitucional. Se repararmos , verificamos que são as mesmas que outras entidades também já anunciaram a intenção de requerer a fiscalização da constitucionalidade, logo, não haverá mossa maior para o governo e deixa Cavaco bem visto. Em relação ao discurso, basta que o comparemos com a prática.

Cavaco assume-se, assim, como elemento do arco da troika, que é como quem diz, membro do clube que está a roubar futuro a Portugal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 15:46

Sábado, 28.09.13

AFINAL, O PROBLEMA É HAVER ELEIÇÕES...

E diz Crato que, no nosso país, se fala tanto de problemas na abertura do ano letivo por haver eleições, garantindo que na segunda-feira já tudo estará calado. Espantoso! Ao que parece, segundo este ministro, o atraso na colocação dos professores, a falta de professores que se mantém em muitas escolas, a falta de trabalhadores não docentes, a confusão com os manuais escolares, a tardia homologação de turmas e não de todas as que as escolas necessitavam, as turmas com diversos ano no 1.º Ciclo, as turmas com mais alunos do que o número legalmente estabelecido, o desrespeito pelos alunos com necessidades educativas especiais - e são várias as situações que desrespeitam princípios básicos da escola inclusiva -, enfim, tudo o que se passou e ainda se arrasta no sistema educativo, afinal, são problemas que não aconteceram, não passando de propaganda agitada por perigosa gente, decerto, ao serviço da oposição.

Talvez quando, segunda, terça, na próxima semana, no próximo mês... os problemas continuarem a ser denunciados, oiçamos Crato a dizer que em 26 de maio de 2014 já ninguém falará do assunto, pois, se tudo correr como previsto, em 25 de maio há novas eleições, no caso, europeias. E como em democracia há eleições regularmente, Crato até poderá dizer que enquanto houver democracia haverá sempre quem levante a voz para criticar o que se passa, nomeadamente na Educação. Bom, se conseguir dizer isso terá, finalmente, dito alguma coisa acertada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 18:32

Sábado, 28.09.13

ENTÃO POR QUE NÃO HÁ-DE HAVER SEGUNDO RESGATE?

Sim, por que não há-de haver segundo resgate? Se o FMI, a UE e O BCE já perceberam que impondo um novo resgate a Portugal será possível continuarem a roubar os portugueses e a encherem os bolsos à sua custa, por que diabo iriam eles deixar de o fazer? São assim todos os assaltantes e todos os chantagistas... enquanto der não param.

Se dúvidas houvesse todos se dissiparam com os dados da execução orçamental: se a receita do Estado com o IRS que é roubado aos trabalhadores aumentou em 30%; se a receita proveniente do IRC aumentou 6%; se o IVA baixou mais de 2%... fica claro, para quem quer ver, que o dinheiro dos portugueses está a ser roubado e não investido na economia nacional. Roubado pela e para a gente da troika que tem, a seu soldo, os agentes que, por cá, lhe fazem o servicinho. E se a gente da troika é agradecida... o Barroso que o diga.

E como a polícia não mete estes sujeitos dentro, teremos de ser nós a pô-los fora. Amanhã os portugueses poderão dar um bom contributo para isso, basta que percebam que os meneses, os searas, os barbosas de melo, os... e os providências, os helderes (não me refiro aos mormons, mas mesmo ao de Viseu) e outros que tais são, nestas eleições, os fiéis representantes desta tropas fandanga.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 18:08

Segunda-feira, 23.09.13

VOTAR CDU EM COIMBRA, COMO EM TODO O PAÍS

Em Coimbra, como em todo o país, a CDU é a única força capaz de protagonizar uma verdadeira mudança. Os militantes comunistas, de os Verdes, da Intervenção Democrática e os muitos milhares de cidadãos independentes que se reveem nesta coligação democrática e unitária e a integram ou apoiam são uma força ímpar, capaz de transformar positivamente este país e, na sequência das eleições de domingo próximo, a vida das populações de cada um dos seus municípios.

Em Coimbra, há todas as razões para que  sejam muitos os que votem CDU. Desde logo, o trabalho desenvolvido pelos seus eleitos na Câmara, Assembleia e Freguesias e também o que propõem para o futuro. Mas se outras razões não existissem, as demais candidaturas ajudariam à decisão:

- o CDS arma-se aqui em virgem ofendida, como se não fosse parceiro do PSD nas políticas nacionais que tantas dificuldades criam aos municípios, não fosse cúmplice da extinção de freguesias e não pertencesse à maioria que agora cessa funções;

- o PSD, a par das responsabilidades nacionais, é protagonista principal pelos retrocessos que Coimbra tem vivido, não apostando no reforço dos seus serviços públicos, antes deixando-os definhar, dando espaço ao crescimento de interesses privados;

- o PS... mas quem não se lembra do Machado que cortou empresas no concelho e com isso cortou milhares de empregos e futuro a muitos cidadaõs? E quis Souselas para caixote de lixo; e deixou dúvidas, tantas, em tantos negócios; e esqueceu tantas vezes a democracia;

- independentes?! Alguns, sim, mas isso haverá em todos, com a diferença que os demais, assumindo a origem, deram transparência à candidatura. Nos tempos que correm, a transparência é um valor importante.

Portanto, há razões para, também em Coimbra, reforçar a CDU nas autárquicas. Será a melhor opção se pensarmos no futuro e também em punir quem tanto mal tem feito ao nosso concelho.

E para dar ainda mais força: http://www.youtube.com/watch?v=TcYiWYQmk2Q

Autoria e outros dados (tags, etc)

por insubmisso-sempre às 00:36


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031